sábado, 15 de abril de 2017

A Páscoa e a tradição do chocolate



A origem do termo páscoa
Derivado do grego Paska, do latim, o termo Pascua tem uma origem religiosa e significa “alimento”, ou seja, o fim do jejum da quaresma. Por sua vez, do hebraico o termo Pesach significa "passagem, salto ou pulo", e remete à libertação do povo judeu. Do inglês, Easter, que significa Páscoa, está intimamente ligado aos cultos pagãos da deusa da fertilidade da mitologia nórdica e germânica Eostre, Ostera ou Ostara.

Entre as civilizações antigas
Historiadores encontraram informações que levam a concluir que uma festa de passagem era comemorada entre povos europeus há milhares de anos atrás. Principalmente na região do Mediterrâneo, algumas sociedades, entre elas a grega, festejavam a passagem do inverno para a primavera, durante o mês de março. Geralmente, esta festa era realizada na primeira lua cheia da época das flores. Entre os povos da Antiguidade, o fim do inverno e o começo da primavera eram de extrema importância, pois estava ligado a maiores chances de sobrevivência em função do rigoroso inverno que castigava a Europa, dificultando a produção de alimentos.

A Páscoa Judaica
Entre os judeus,  Páscoa é comemorada em 8 dias de festa e assume um significado muito importante, pois marca o êxodo deste povo do Egito, por volta de 1.250 a.C., . Esta história encontra-se no Velho Testamento da Bíblia, no livro Êxodo. A Páscoa Judaica também está relacionada com a passagem dos hebreus pelo Mar Vermelho, onde liderados por Moises, fugiram do Egito.
Nesta data, os judeus fazem e comem o matzá (pão sem fermento) para lembrar a rápida fuga do Egito, quando não sobrou tempo para fermentar o pão.Por isso, nas comemorações e festejos é proibido comer pães com fermento. Essa comemoração recebe o nome de “Festa dos Pães Ázimos” (Chag haMatzot).

A Páscoa entre os cristãos
Entre os  cristãos, esta data celebrava a ressurreição de Jesus Cristo (quando, após a morte, sua alma voltou a se unir ao seu corpo). O festejo era realizado no domingo seguinte a lua cheia posterior ao equinócio da Primavera (21 de março).

Concílio de Niceia (325) e a data da Páscoa no calendário cristão
No ano de 325, durante o Concílio de Niceia, houve a primeira tentativa de se estabelecer uma data que acabasse com as dúvidas sobre o dia da Páscoa. No século XVI – com a adoção do calendário gregoriano –, as dificuldades de definir a data da páscoa foram amenizadas. Foi determinado que a celebração da Páscoa ocorreria no primeiro domingo, após a primeira Lua cheia do Equinócio da Primavera, entre os dias 21 de março e 25 de abril.

E o coelhinho? E os ovos?
O coelho foi associado à Páscoa pelo fato de ser ao longo da história ser um símbolo de fertilidade, esperança e vida. Esse simbolismo é muito antigo, tendo se originado ainda na época das primeiras civilizações. Já o hábito de trocar ovos surgiu na Europa, entre os cristãos primitivos.
Os ovos eram presentes que simbolizavam o surgimento de uma nova vida, a ressurreição. Entretanto, estes ovos não eram comestíveis, muito menos de chocolate. Essa deliciosa tradição surgiu bem mais tarde, na França. 



Fontes:
https://www.todamateria.com.br/historia-da-pascoa/
http://brasilescola.uol.com.br/pascoa/historia-da-pascoa.htm
http://www.historiadetudo.com/pascoa
http://www.suapesquisa.com/historia_da_pascoa.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário